segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Vampiros Reais: A Condessa Sangrenta



Elizabeth Bathory - A condessa sangrenta: Foi a mulher que assassinou mais pessoas na história da humanidade. Acredita-se que, isto foi por conta de seu crescimento em um ambiente onde havia muitas atrocidades, afinal, o território em que vivia fazia parte das batalhas entre Turquia e Áustria  Elizabeth, inclusive viu suas irmãs sendo violentadas e mortas em um ataque ao castelo de sua família.

Casada em maio de 1575, seu marido, uma cruel oficial do exército, ensinava-lhe formas de torturas que eram aplicadas em seus criados indisciplinados. Mas o oficial não sabia que muitas matanças cometidas eram realizadas por sua amada esposa. Elizabeth acreditava que se tomasse banho com sangue de meninas jovens sacrificadas, impediria que a velhice tomasse conta do seu corpo. Só entre 1604 a 1610, com a ajuda de um grupo de fiéis colaboradores, assassinou 612 meninas adolescentes. Ela
sempre dava um jeito de achar motivos para aplicar torturas ou matar pessoas, além de sentir um enorme prazer de deleitar-se sobre suas vítimas.

Certa vez, num acesso de raiva, chegou a abrir a mandíbula de uma serva até que os cantos da boca se rasgassem. Ganhou a fama de ser Vampira por morder e dilacerar a carne de suas criadas. Há relatos de que numa certa ocasião, uma de suas criadas puxou seu cabelo acidentalmente aos escová-los. Tomada por uma ira incontrolável, Bathory a espancou até a morte. Dessa forma, ao espirrar o sangue em sua mão, se encantou em vê-lo clarear sua pele depois de seco. Daí vem a ideia da Condessa  de se banhar
em sangue para permanecer jovem eternamente. 

Um dia, o conde Gyorsy Thurzo, cercou o castelo de Elizabeth, onde a condessa foi aprisionada  num aposento onde só  havia uma pequena abertura para passagem de ar e comida. Sua morte foi em 21 de agosto de 1614. Até hoje o nome de Bathory é sinônimo de beleza e maldade para os povos de toda Europa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário