terça-feira, 9 de abril de 2013

Literatura Gótica Brasileira


A valorização do "Eu", da sensualidade feminina, da melancolia e do tédio, além da preferencia à fantasia é uma das marcas da Literatura Gótica Brasileira, conhecida como Ultra-romantismo, ou como alguns dizem, Segunda geração romântica.

A partir de mais ou menos 1840, surgiu uma geração que tinha o desejo de expressar seus sentimentos mais profundos em versos e contos. A geração do Mal do Século possuía uma obsessão pela noite e pela morte e por isso, suas palavras também foram representações de desejos eróticos e dúvidas sobre a vida.

No Brasil, a Literatura Gótica destaca-se mais em poesias que em histórias.
Nos versos livres, cada autor deixa sua marca.

Influenciado pelas obras de Lord Byron, o escritor Álvares de Azevedo é um dos grandes nomes, não só da literatura ultra-romântica, mas de toda literatura brasileira.
Além de Álvares, podemos destaca também, Junqueira Freire, que demonstra sua sexualidade reprimida, os conflitos com sua profissão (Frei) e é claro, seu pessimismo para com a vida.

Laurindo Rabelo, o homem que abandonou as várias profissões que queria seguir e  um grande apreciador da noite, também foi um ótimo escritor da Segunda geração romântica.
Casimiro de Abreu, que foi inspirado pelas saudades de sua família enquanto estava residindo em Portugal, não pudia deixar de estar na lista. Um dos versos que considero um dos mais belos de sua autoria é da poesia Desejos:

"Se eu soubesse que no mundo
Existia um coração,
Que só' por mim palpitasse
De amor em terna expansão;
Do peito calara as mágoas,
Bem feliz eu era então!"

Dica de livro: Noite na Taverna - Álvares de Azevedo.

Então, este foi um pouco do conhecimento que tenho sobre a Literatura Gótica Brasileira. Estarei sempre aguardando e agradecendo sua visita.
Vamp.

Fontes: Espectro gótico
Só Literatura

Nenhum comentário:

Postar um comentário