quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Galeria do Rock: Entrevista com Góticos.

Saudações leitores! Há muito tempo não escrevo no Alba Lupus e hoje trouxe uma entrevista que fiz à algumas pessoas no primeiro encontro Gótico que houve em frente a loja Profecias na Galeria do Rock. Quando cheguei não havia muitas pessoas lá, não sei se foi por conta da demora para chegar até lá ou por conta de ser o primeiro encontro. Deixarei aqui as respostas de alguns Lords e Ladies que, por motivos pessoais, não quiseram seus nomes aqui.



Vamp: Como você conheceu a subcultura gótica e o que te levou a fazer parte dela?
Lord: Minha mãe é gótica.
Vamp: O fato de sua mãe ser gótica foi o que te fez entrar no movimento?
Lord: Não, ela sempre me deixou livre. Tive minhas escolhas e resolvi segui este caminho.
Vamp: Algumas pessoas dizem que um gótico já nasce com a alma soturna. Que acha disso?
Lord: Com o tempo você vai ganhando conhecimentos e passa a dar valor a eles, então vai se transformando naquilo que se quer. Não se pode nascer gótico.
Vamp: Você acha que o fato de, as bandas pioneiras como The Cure ou Bauhaus serem bem ouvidas no meio gótico atrapalha os adeptos da subcultura de ouvirem bandas que não são consideradas post-punk?
Lord: Não. Isso é muito ortodoxo; você pode ouvir outras variantes.
Vamp: A moda vitoriana, assim como a fetichista é forte dentro do movimento gótico. Qual sua opinião sobre elas?
Lord: A moda vitoriana representa a volta ao tempo clássico, acho isso bem legal. Já a fetichista, demonstra alguns de muitos desejos que as pessoas oprimem. Isso é a moda gótica.
Vamp: A literatura também faz parte da subcultura. Quais autores você indicaria?
Sthephan King, (Conhecido por sua escrever ficções cientificas e horror) e Edgar Allan Poe (Conhecido com um dos primeiros autores americanos de conto e romance).



Vamp: Como você conheceu a subcultura gótica e o que te levou a fazer parte dela?
LadyA: Conheci sozinha. Vi coisas sobre góticos na TV e pesquisando vi que é bem diferente da imagem que eles passam. Depois conheci alguns amigos que me trouxeram à galeria do rock e aprendi muito aqui.
LadyN: Eu sempre escutei rock e de todos os gêneros e subgêneros que fui conhecendo, me identifiquei mais com o gótico e assim ficou.
Vamp: As pessoas nascem com a alma gótica? Algumas pessoas dizem que sim. Qual sua opinião sobre isso?
LadyA: Não. É tudo uma questão de identificação depois de agregar alguns valores.
LadyN: Quando criança você pode gostar de elementos góticos não sabendo o que é isso, mas depois que conhece tal coluna e suas diversas formas de expressão, você pode se identificar com algumas delas e ter uma tribo para adentrar.
Vamp: Você acha que as bandas do movimento atrapalham os góticos de ouvirem bandas de outras variantes?
LadyA: Bom, eu também escuto Guns n' Roses (risos); O fato de você ser gótico não te atrapalha em ouvir ouvir outras bandas.
LadyN: As pessoas criam padrão para tudo, acham que se você participa de um grupo você deve ser fechado apenas as roupas e músicas dele. Você pode ser gótico e de repente ouvir um heavy metal. O gótico não é fechado, é tanto que dentro dele há "um leque" de estilos, como o Cyber Goth, por exemplo. Nenhum grupo deveria deixar seus membros presos a apenas uma coisa, mesmo com muitas bandas, seria monótono.
Vamp: O que você acha da moda vitoriana?
LadyA: Demonstrar a feminilidade de um modo clássico, é muito bonito. A moda vitoriana faz isso. Na maioria das vezes uso este estilo na rua, o problema é que as pessoas tem muito preconceito, elas tentam disfarçar, mas o olhar não nega.
LadyN: O gótico é romântico e no século XIX isto estava em alta, não trouxe apenas a feminilidade a mulher, fez também os homens reconhecerem sua fragilidade e quererem conhecer mais dela, além de se tornarem mais elegantes para poder conquistá-las. Sou um pouco fetish, mas também gosto do Victorian Style. (Risos).



Foram poucas questões, mas deu para perceber o que muitas pessoas sabem, como, que para participar de uma tribo urbana você não precisa se prender totalmente a ela. Se entregar é legal, mas isso não te faz prisioneiro de algo que muitas pessoas inventam regras. E também que cada pessoa adquire o conhecimento de um modo e em tempos diferentes.
Espero poder ir a um próximo encontro!!!



Nenhum comentário:

Postar um comentário