quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Lembranças...


Como se sente ao ser desprezado?
O que faz quando é enganado?
E quando já não consegue fazer mais nada?
Aterrorizado!

De repente nada mais tem graça
O mundo fica escuro outra vez.
Os lamentos vem de todos os lados...
Insensatez!

Quero me afogar nas lagrimas desta dor
Calar este coração que está a fazer clamor.
Deleitar com um véu no sarcófago dos desesperados
e acordar casada com a morte.

O que pensa da liberdade?
Em que casa está o mistério da eterna saudade?
Lembranças do ultimo dia de uma vivência agonizante,
de falsos risos e olhos baixos em um pequeno semblante.

3 comentários:

  1. Com certeza a lembrança será sempre a foice que arranha nossa existência...

    ResponderExcluir
  2. Você retratou as dores de forma tão intensa, adorei seu poema, garota!

    ResponderExcluir
  3. Obrigada caras damas! Sempre procuro colocar a verdade dos sentimentos em palavras.

    ResponderExcluir