segunda-feira, 23 de julho de 2012

Dedicatória

Kalel Luiz, como sempre, mostrando-se gentil. Muito obrigada pela dedicatória. Gostei muito e estou publicando aqui no Alba Lupus, esperando que os leitores também gostem.




Aqui me deito para sempre e toda tristeza que ainda permanece se esvai…
O sangue me empurrara para baixo e me banhara com meus pecados e sinas.
A corrente me afogará e me levará embora para sempre?
De repente a luz começa a enfraquecer bem diante de mim.
Silenciosamente meu corpo vai abaixo,o vento da noite bate em meu rosto.
Eu não estou com medo,eu não estou aflito,não parece me atrapalhar.
Eu consigo ver o brilho da luz da lua…
E lentamente me afasto e me sinto seguro em dizer que tudo acabou afundado na sepultura.
Nada sobrou,mas eu estou bem acordado.
Eu consigo ouvir a morte chamar o meu nome.
Agora eu consigo me ver gritando por dentro…
Eu estou despedaçado e castigado
Tento encobrir o sangue de minhas feridas.
Vou lutar contra a perda
Morto por dentro.
Deixe-me no fundo pois eu estou perdido para sempre
Agora ha cartas do mundo dos mortos em meu nome.
Digo adeus…
Tristeza cai sobre mim junto com a escuridão da noite
Esta será a última vez que estarei perdido 
Dias melhores estarão a começar a final…
Mas vou começar a seguir meu caminho.
E fechar os olhos…sem olhar para trás !

Um comentário:

  1. muito bom...mas ás vezes confuso...e mesmo assim muito bom....

    ResponderExcluir