domingo, 3 de junho de 2012

Uma estrela


Uma estrela que parece 
tão insignificante
estava fazendo tudo por mim.
Mas eu andava atento apenas para
a escuridão.
Não pude notá-la.
Quando a vi, e de perto,
era tarde,
ela já estava se apagando.
Então, de joelhos, implorei
seu perdão.
Lacrimejando ela perdoou.
Disse quer esse tempo estava quieta,
mas sangrando.
Era o fim.
Depois de eu ter enxergado a verdade,
ela definhou,
então, minha vida não fez mais sentido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário