quarta-feira, 28 de março de 2012

Moda Vitoriana

Panos finos, joias com detalhes fascinantes e corset, tudo isso faz parte de um visual sofisticado e complexo. Estou falando da Moda Vitoriana e se existe algo no mundo que não deixou está moda acabar, esse algo  é nomeado Subcultura Gótica.
Quando falamos de trajes góticos vitorianos, estamos falando de releituras, de interpretações livres das características de uma época. É importante que você goste do que está vestindo e se sinta confortável com sua roupa se não, para que usá-la?
A expressão Era Vitoriana se refere ao longo Reinado da Rainha Vitória na Inglaterra.
Há uma variação de vestidos vitorianos, vão desde os mais longos e rodados, a vestidos com sua saia curta na frente e longa atrás, sem contar que são justas.


“A mulher vitoriana usava várias camadas de corpetes. Três ou mais anáguas, uma armação de saia ou crinolina, e um vestido comprido que talvez contivesse vinte metros de lã grossa ou seda, e que freqüentemente, tinha barbatanas no corpinho e era adornado com tecido, fitas e contas complementares. Quando saía de casa, acrescentava um xale pesado e uma grande touca ou chapéu decorado com penas, flores, fitas e véu. Tudo junto, talvez carregasse de cinco a quinze quilos de roupa.” - Lurie

O reinado da rainha Vitória é marcado pela instalação moral e puritanismo, ela era uma figura solene. Em 1840 ela casa-se com Albert, e este torna-se o Príncipe Consorte. Esta época é tida como o apogeu das atitudes vitorianas, período pudico com um código moral estrito. As roupas eram grandes e de cores claras.Em 1861 morre o príncipe Albert e ela mergulha em profunda tristeza, não tirando o luto até o fim de sua vida (1902).

A morte do príncipe Albert marca o início da segunda fase da era vitoriana. As roupas e as mulheres começam a mudar, os decotes sobem e as cores escurecem. A moda vitoriana do luto extremo e elaborado vestiu de preto britânicos e americanos por bastante tempo e contribuiu para tornar esta cor mais aceita e digna para as mulheres.
No final da era Vitoriana as saias já não são enormes, tornando-se mais justas. 

 O novo rei,  Eduardo VII,  é conhecido por seus apetites, amantes, extravagâncias e excessos, o oposto do recato e moralidade de sua mãe. A mais convencional mulher eduardiana e a do final do período vitoriano, já não era tão infantil e frágil.
Novamente, a moda condescendente se alterou para se ajustar ao novo ideal. As curvas se acentuaram, o tecido se tornou mais pesado e as cores mais fortes e sóbrias.

Nas roupas de hoje encontramos traços da moda daquele período, porém a
gora, a excentricidade e o exagero dão lugar à objetividade,  e há mais liberdade feminina.





Nenhum comentário:

Postar um comentário