sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Meu nome


Olhos vendados e corpo amarrado,
apenas ouço o barulho da chuva.
Com o olfato saboreio a terra molhada.

Impedida de olhar, impedida de tocar,
raramente sinto a brisa sobre mim cair.
Chamo-me Escrava.

Desejos agonizantes e presentes sem face
ao invés destas taças, dai-me felicidade.
Frutos apodrecidos em terra de bom cultivo.

Meus sonhos, meus amores
deixo todos meus fulgores.
Meu sobrenome é Dor.

Calei, pensei e derramei lagrimas,
a esperança estava perdida e inalcançada.
Quando a encontrei, era tarde, estava putrefacta.






7 comentários:

  1. Olá, adorei seu blog, só coisas que adoro
    Belo poema
    Aproveito pra agradecer os comentários em meu blog, não respondi pq demorei a visualizar, estava com problemas pra acessar comentários..
    Enfim, mas vi, adorei e vim conferir seu blog, volte sempre lá, voltarei aqui! Beijos querida!

    ResponderExcluir
  2. Olá srta Nix
    Que obra mais bela
    escreve muito bem!
    Esta de parabéns Srta!

    Tenha uma bela tarde e ótima semana!
    Até breve!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Dellone, seu blog também está de parabéns.
      Bela tarde e ótima semana!

      Excluir
  3. Essas hipnóticas palavras tuas emudecem as minhas, as fazem refém de tal momento sem qualquer resistência, fazendo dos meus olhos escravos de tuas escritas, sem ter o que dizer, sem ter o que pensar, entorpecido em sentimentos, basta-me apenas te contemplar.

    ResponderExcluir
  4. [respondendo]
    Agradeço srta Nix
    Eu lhe adicionei ao grupo "Obscurity"
    no face, sinta-se a vontade em divulgar
    o "Alba Lupus" por lá, onde aliás irá
    ver muitos outros com os quais acredito
    que irá se identificar e vice-versa!

    Tenha uma Bela tarde e Ótima semana!
    Até breve!

    ResponderExcluir
  5. Sombria escriba. Muito aprecio de sua arte
    com os verbos e metáforas. Sou seu admirador.

    ResponderExcluir