domingo, 2 de outubro de 2011

Uma pequena entrevista feita comigo


Minha amiga me fez um pequeno interrogatório para postar no blog dela, divulgando o meu. Copiei e colei aqui na minha postagem, caso algum leitor queira saber um pouquinho mais sobre mim.

Nome: Diana Andrade
Codnome : Nix (Para internautas)
Apelido: Vamp

Um pedacinho de uma das explicações do blog:
"O Termo Gótico foi usado como adjetivo de Várias Expressões.
Originalmente Gótico é um relativo à Godos, povo germânico que invadiu o império romano."
"A Subcultura Gótica, às vezes chamada de Darkwave (Onda sombria) não tem nada haver com Godos, como já foi dito, Gótico possui vários significados. Começou no da década de 1980 e derivou-se do pós-punk."
"Um Gótico não precisa ouvir apenas um estilo de música Gótica, como outras subculturas, o goticismo se baseia em vários ritmos."

Um pedacinho de um dos poemas - Macabria:
"Sou um pobre corpo
abandonado, crucificado.
Não reconheço meu pecado,
mas, tenho certeza que minha alma
está perdida"

Uma imagem - Ankh:
















Uma frase:
Aparências enganam e o conhecimento é tudo,
julgar sem conhecer é para os fracos.


Minha opinião(Opinião dela):
No blog dela tem resposta para várias perguntas feita por pessoas não-góticas ou iniciantes na subcultura, há também postagens com poemas, músicas, videos e imagens, sem contar com as postagens sobre roupas legais e estilos de cabelos (cortes, penteados e cores).
Vale a pena passar lá e prestar atenção em tudo,porque você ganhará conhecimento.

Perguntas e Respostas:
Drika: Quando você começou a adotar o estilo, e por que?
Nix: Bom, desde pequena eu gostei de poemas do estilo, gostava de cores mais pesadas e um pouco de rock, aos 10 anos, acho que na minha 6ª série eu comecei a me identificar com o estilo, mas não sabia como se chamava. Era até um tanto traumático e engraçado, eu tinha o apelido de Nerd Dark e viva com um óculos de grau, redondo com as cores roxo e prata.
Uma amiga minha sempre me chamava de gótica e eu negava porque não conhecia a subcultura e ficávamos discutindo o assunto todas as vezes que estávamos juntas, até que aos 12 anos eu comecei a ter mais acesso a internet, a bibliotecas e lugares informativos e vi que encontrei o que eu procurava. O termo Goth.
Comecei a estudar e estudar e obtive ótimas informações, mas aos meus 13 anos e meio, notei que as pessoas não gostavam muito de ficar comigo, exceto 3, que já eram companhias muito velhas, dai tomei a decisão de mudar para tentar agradar as pessoas e acabei me sentindo muito mal por isso, até hoje acontece alguns imprevistos por conta desta atitude. 1 ano depois, eu já estava cansada de fingir ser o que não era, agradando as outras pessoas e me constrangendo, me ocultando, mas essa fase não durou muito tempo, coisa de  1 ano. Depois acabei por tomar mais uma decisão errada, comecei a me mutilar, a criar formas de tortura como uma espécie de castigo.
As pessoas sempre me perguntavam porque eu o fazia, e eu dizia.
Comecei a retornar ao rock e metal, porque a história de não mostrar meu verdadeiro eu nunca deu certo e estou aqui até hoje, pertencendo a subcultura gótica e conhecendo pessoas legais.
Isso é só um pouquinho da minha história tensa e grande.


Drika: Como você se sente ao saber que as pessoas ainda tem preconceito com a subcultura gótica?
Nix: Bom, acho que o preconceito é difícil de morrer, pois as pessoas nunca tem interesse de conhecer alguma cultura/subcultura, ou mesmo alguém e isso aumenta a chance de julgar tudo como uma coisa suja, uma coisa ruim. Todos nós temos um pouco de preconceito, as vezes nem sabemos disso, só acho que deveríamos ser mais sensatos as vezes. Como dizia Albert Einstein:
"É mais fácil desintegrar um átomo do que um preconceito."

Drika: Para finalizar, a pergunta número três. Você tem algum projeto cultural em mente, festas, banda?
Nix: Sim, aqui onde nós moramos Drika, as pessoas não conhece bem o Halloween (Dia das Bruxas), comemorado no dia 31 de outubro. 
Todo ano faço uma festa pequena, mas queria começar a levar esta cultura às pessoas daqui, pretendo fazer isso levando doce às pessoas, ao invés de os pedir. "Gostosuras ou Travessuras" será alterado para "Tome uma gostosura e não cometa uma travessura, no próximo ano será cobrado ou você será amaldiçoado". (Risos). É um bom começo.
Há também uma banda de Power Gothic Metal sendo formada, eu sou a vocalista. Se chama Sonata Imperial, ela é formada por mim, meu namorado e um amigo, ainda não está completa, pois,  precisamos de um baixista, mas isso é questão de tempo e já dá pra ensaiar acústico.
Vou começar a postar no blog algumas letras para os leitores avaliarem.


Drika: Obrigado por esse tempo de dedicação. Boa noite.
Nix: Eu que tenho de agradecer, afinal, é sempre bom levar informações às pessoas. Boa noite.

2 comentários:

  1. Devo dizer que a entrevista ficou bem satisfatória, é sempre bom conhecermos um pouco sobre a pessoa da escritora que admiramos...
    Vamp [rs] você escreve muito bem, registra esse poemas, pensa alto faça um livro, você é uma pedra preciosa que tem muito brilho, merece ser descoberta...

    *Os poetas do além, te conteplam também... bjs

    ResponderExcluir
  2. Deve ter sido chato mudar para agradar os outros, pois a arte de agradar é a arte de enganar e se enganar. Que bom que você voltou ao seu eu verdadeiro.
    Gostei da ideia "Tome uma gostosura e não cometa uma travessura, no próximo ano será cobrado ou você será amaldiçoado". Rsrsrsrs
    Parabéns, você escreve coisas bonitas e tem uma boa história pra contar. Concordo com Fael, você merece ser descoberta.

    ResponderExcluir