quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Ontem não é hoje

Tentaram abrir meu crânio
para tirar toda essa "loucura".
Você foi o que mais tentou,
mas nada adiantou.

Agora ando nos corredores
do seu cérebro podre.
Agora te assombro,
como assombro as garotinhas,
apenas com um olhar fantasma
e um sorriso gótico.

Tentaram me vestir de azul
e  me amarrar em uma cadeira branca.
Fui forte como um touro,
conseguindo vomitar todas as pílulas.

Me encontro morta a muito tempo
e morri, com suas mãos 
em mim.
Me deixe brincar,
brinca de assustar,
até o fim.



Um comentário: